3 Conceitos Financeiros Essenciais Para Investir

Conceitos financeiros

Faaala, Pobre Mortal!

Você já deve ter ouvido falar que não há um único melhor investimento. Apesar de um mesmo produto financeiro ser adquirido por diversos investidores, isso não significa que aquele investimento seria a melhor opção para todos eles.

Isso varia de acordo com o seu perfil de investidor.

Além dos 3 perfis de investidores, existem 3 conceitos financeiros fundamentais no mercado de capitais que são: liquidez, rentabilidade e benchmark. 

É sobre isso que vamos falar nesse post, porque é necessário ter clareza sobre como cada um deles deve ser considerado na hora de tomar uma decisão.

O que é liquidez?

O primeiro dos conceitos financeiros é a liquidez financeira que representa a capacidade de converter um ativo, seja alguma aplicação financeira ou bem, em dinheiro real. Então, é o tempo em que o capital ficará aplicado no produto financeiro até que possa ser resgatado.

Quanto mais fácil for de transformar tal ativo em dinheiro, dizemos que mais líquido esse ativo é. E quanto mais difícil for transformar outro ativo em dinheiro real, dizemos que ele é menos líquido. 

Qual a importância real disso? A segurança. A alta liquidez de investimentos permite mais segurança ao investidor. Isso significa dizer que, em caso de imprevisibilidades, é possível resgatar aquela aplicação a qualquer momento e sem perder dinheiro. 

Eu quero que fique bem claro: por exemplo, se o objetivo do investidor é compor a Reserva de Emergência o ideal é que ele busque um produto com liquidez diária. Se a reserva é para um momento inesperado, imagine só o investidor ter todo o seu capital aplicado apenas em renda variável, e precisar resgatar uma parte do dinheiro bem no momento em que as suas ações estão em queda?

Se não sabe o que é e pra que serve a reserva, clique aqui.

Existem alguns investimentos que possuem liquidez diária ou D+1. Ou seja, resgatam-se no mesmo dia ou no próximo dia útil, como: poupança, tesouro direto e CDB´s. 

O que é rentabilidade?

É o retorno que um determinado investimento pode oferecer. No mercado de ações, é praticamente impossível prever a rentabilidade, mas quando falamos de renda fixa, por exemplo, é possível ter uma previsibilidade do rendimento, mas muito cuidado: produtos financeiros com rentabilidades atraentes costumam ter maior risco.

Portanto, caso você tenha investido R$2.000 e, ao final do prazo de vencimento, você possua R$3.000, o rendimento obtido foi de 50% do valor aplicado.

Por conta disso, antes de começar a investir, é fundamental que você faça uma pesquisa sobre as opções disponíveis com conhecimentos sobre a rentabilidade.

Para calculá-la, basta utilizar a seguinte fórmula:

Rentabilidade (%) = (Lucro / Investimento) x 100

Assim, você escolherá os investimentos que sejam realmente eficientes, mesmo que atrelados a taxas e tributações.

Um exemplo prático agora:

Para os títulos de Renda Fixa, como CDI, LCI, LCA e Tesouro Direto, existem três modelos de rendimento a serem analisados:

  • Taxa Prefixada: quando o investidor conhece o valor da rentabilidade em cima da quantia aplicada;
  • Taxa Pós-fixada: semelhante à uma taxa de juros básica, relacionada à evolução ou redução de um índice. Por isso, pode aumentar ou diminuir ao longo do tempo;
  • Taxa Híbrida: uma junção dos dois anteriores, onde o índice escolhido é somado à taxa pré-determinada para o investimento.

O que é Benchmark?

O último dos conceitos financeiros é um indicador utilizado para comparar a rentabilidade entre investimentos, produtos, serviços e taxas. O índice Bovespa, o Índice Brasil (IBrX), Índice Brasil – 50 (IBrX-50), taxa Selic são exemplos de benchmarks brasileiros, visto que servem para avaliar o desempenho de um ativo financeiro em relação ao desempenho de outros ativos financeiros.

De forma mais simples e prática: quando eu investir em renda fixa, eu devo buscar ativos que estejam alinhados ao benchmark da renda fixa que é o CDI. 

Quando eu for investir na renda variável por meio de fundos de investimentos imobiliários, o benchmark adequado é o IFIX. Agora, quando for ações, é o Ibovespa. 

Isso serve para que nós tenhamos noção da qualidade dos nossos investimentos, afinal não é interessante buscar, por exemplo, ativos em renda fixa que rendem 70% do CDI, concorda? Eu quero 100% do CDI. 

Sempre quando investir fique atento a esses 3 indicadores para realizar as melhores escolhas.

Bons investimentos.

Deixe uma resposta