Os 4 piores erros ao investir em Fundos Imobiliários

Fundos Imobiliários

Faala, Pobre Mortal. Você já investe em Fundos Imobiliários?

O investimento em fundos imobiliários é algo que cada vez mais tem ganhado adeptos nos últimos anos. Isso é possível de se notar pelo aumento contínuo do número de investidores em FIIs registrados pela B3, pois de acordo com o último relatório publicado pela Bovespa em 2021, o número de investidores passou da marca de 1,2 milhão de CPFs na bolsa.

No post de hoje, eu vou te mostrar 4 erros comuns ao investir na bolsa de valores, especialmente na classe de fundos de investimentos imobiliários.

Olhar apenas um indicador na hora de analisar um Fundo Imobiliário

É do conhecimento de todos que a maioria dos fundos imobiliários pagam dividendos mensais e por conta disso, muitas pessoas usam esse recurso financeiro como uma “aposentadoria”. Um número significativo de investidores se guia apenas por um indicador ao investir em fundos imobiliários e normalmente esse indicador é o dividend yield (DY).

Esse indicador deve ser o último a ser analisado em um fundo imobiliário, visto que rentabilidade passada não é garantia de rentabilidade futura. Quando uma pessoa decide investir em um fundo imobiliário se guiando exclusivamente pelo DY, esse investidor não está levando em consideração a origem desse rendimento, o que compõem a carteira do fundo, muito menos como a gestão administra o fundo.

Pode ocorrer que algum fundo imobiliário distribuiu um DY fora do padrão em um determinado mês e justamente naquele mês a pessoa se deparou com o fundo, sendo que a distribuição habitual de dividendos do respectivo fundo é bem abaixo da média. Por isso, em hipótese alguma se guie apenas por um indicador para tomar a sua decisão de investir ou não.

Não diversificar

Diversificação é a melhor iniciativa para a minimização dos riscos ao investir em fundos imobiliários. A pessoa que decide investir em renda variável deve estar ciente que está exposta a uma quantidade maior de riscos e como os fundos imobiliários são uma classe de ativos de renda variável, existem riscos ao se investir neles.

Não é difícil encontrar pessoas que possuem poucos fundos imobiliários na carteira de investimentos. Não existe um número exato de quantos fundos é o certo ter em uma carteira de fundos imobiliários, mas um número superior a 4 é interessante.

Recomendo ainda buscar os fundos multi multi multi, que são multi imóveis, multi localizações e multi inquilinos, para redução dos riscos.

Além disso, é recomendável que o cotista, que é como são chamadas as pessoas que investem em fundos imobiliários, invista em fundos de diferentes segmentos de atuação, por exemplo, lajes corporativas, papéis, shoppings, galpões, híbridos e desenvolvimento.

Ao fazer isso, o cotista estará mitigando os riscos inerentes a cada tipo de fundo imobiliário e proporcionando uma maior estabilidade para o seu portfólio de fundos imobiliários.

Não investir a longo prazo

Se quiser ter sucesso ao investir em fundos imobiliários invista para o longo prazo. Muitas pessoas por serem novas e não terem o conhecimento necessário para investir, pensam em investir já querendo saber quanto o fundo irá valorizar no outro dia, e no dia seguinte e assim por diante. Porém, quando ocorre qualquer queda, por menor que seja, essa pessoa já entra em desespero e decide vender as cotas do fundo amargando um grande prejuízo.

É fato que todos queremos que os nossos investimentos se valorizem cada vez mais, mas as quedas irão acontecer e elas serão compensadas no longo prazo. Um grande causador disso é o fato de vivermos em uma sociedade imediatista. Precisamos ser perseverantes na nossa estratégia de investimentos e não mudar essa estratégia a cada queda ou alta da bolsa.

Não ler os relatórios gerenciais dos Fundos Imobiliários

É fundamental ler os relatórios gerenciais. Ler não é um hábito praticado pela maioria dos brasileiros e muitas pessoas ao investirem em um fundo imobiliário por não serem familiarizadas com o hábito da leitura preferem assistir um vídeo no Youtube para tomar a decisão de investimento ao invés de ler e decidir isso por si só.

É muito interessante assistir um vídeo sobre algum fundo imobiliário, mas mais interessante ainda é ler, pelo menos, os últimos 3 relatórios gerenciais que a gestora emitiu para que somente assim a pessoa possa decidir se deve investir ou não no fundo objeto de estudo.

Ao ler o relatório gerencial, o investidor poderá saber em detalhes como o fundo imobiliário opera, como foi o seu desempenho no período abrangido pelo relatório, sem falar que através desse documento é possível ter uma noção de como são as tomadas de decisões do gestor do respectivo fundo.

Bons Investimentos.

Deixe um comentário