Financiamento, consórcio ou empréstimo: será que vale a pena?

Financiamento, consórcio ou empréstimo

Fazer um financiamento, pegar um empréstimo ou fazer um consórcio? O que vale mais a pena?

Fala, pobre mortal! Você sabe responder essa pergunta?

Talvez você nunca tenha parado para analisar a diferença entre eles, mas o post de hoje vai ser justamente sobre isso.

Eu vou te falar tudo que você precisa saber sobre eles, e te ajudar a decidir qual o melhor em cada caso.

Como funciona o Financiamento?

O sonho de possuir um carro próprio ou casa própria é comum entre os brasileiros e, sinceramente, sonhos não se discutem. Cada um tem o seu. 

Mas, diante da vontade de realizar estes sonhos, é que os brasileiros buscam pelas modalidades de crédito. 

O primeiro deles é o financiamento, concedido pela instituição financeira com uma finalidade específica: que você financie um imóvel ou um veículo.

Mas para que isso aconteça, o banco avalia esse bem e exige que ele seja deixado em garantia durante todo o prazo de pagamento.

Você pode usufruir do bem normalmente, como se já fosse seu. Mas na verdade, ele não é. No documento do bem fica registrada a alienação fiduciária, ou seja, uma espécie de vínculo com o banco.

Portanto, você só poderá trocar o objeto do financiamento por outro, no momento em que você quitar todo o saldo devedor.

E qual a diferença para o Empréstimo?

A principal diferença é que no empréstimo você não precisa expor onde ou para que vai usar o dinheiro. Você pode gastar de acordo com suas vontades, sem dar maiores informações ao banco. 

Por um lado isso pode parecer bom, já que não há obrigatoriedade em garantias. Mas por outro, ter acesso a um empréstimo se torna muito mais caro. 

Essa é a maneira que o banco tem de arcar com o risco de emprestar dinheiro pra você, sem saber qual a finalidade do uso dele.

E como funciona um Consórcio?

Consórcio é uma modalidade de compra programada. Em outras palavras, se trata de um grupo de pessoas (físicas e/ou jurídicas) que se unem para formar um fundo, com o intuito de adquirir bens de mesma natureza, como veículos, viagens, etc.

Este fundo é administrado por uma empresa, a qual se responsabiliza pela gestão dos valores e contemplação da carta de crédito nas assembleias periódicas.

Na prática, para fazer parte de um consórcio, você precisa procurar uma administradora e tornar-se um participante (consorciado) dela, através da compra de uma cota.

A partir de então, você paga uma mensalidade durante um prazo definido em contrato, e esse prazo varia de acordo com o tipo de bem ou serviço e o seu valor. 

Caso esse tipo de modalidade faça sentido para você, eu só te peço um favor: busque por uma administradora de consórcios que seja autorizada pelo Banco Central. 

Para acessar a carta de crédito, ou seja, receber o valor para adquirir o bem ou o serviço, existem duas maneiras.

A primeira é participando de sorteios mensais. E na segunda, você pode tentar antecipar a contemplação, por meio da oferta de um lance vencedor.

Esses mecanismos são exclusivos do consórcio, e fazem dele uma modalidade de compra que difere bastante do financiamento e do empréstimo. 

Outra diferença entre consórcio e financiamento é que no financiamento você pode fazer a retirada do bem de imediato, mas no consórcio você tem de aguardar a contemplação da carta de crédito para adquirir o bem. 

E qual a melhor opção?

A melhor opção é aquela que está dentro do seu planejamento financeiro. Portanto, procure sempre ter um. Assim você não precisa apelar para opções de crédito tão caras como essas.

Relacionado: Independência Financeira – o que é e como atingir.

Se você está buscando por um empréstimo é porque precisa de dinheiro com urgência, e por isso, se submete a juros altos.

Mas se você poupa dinheiro e faz planos para o futuro, é provável que esteja com uma reserva de emergência robusta, e montando uma carteira de investimentos para o longo prazo.  

Veja também: Reserva de Emergência: O Que É? Onde Investir? 

Mas, se ainda assim você precisar de algumas das opções anteriores, faça os cálculos e veja qual delas é a melhor opção financeira para você, de acordo com seu momento de vida.

Deixe um comentário