O que mais vale a pena: Financiamento, Consórcio ou Empréstimo

Financiamento, consórcio ou empréstimo

Faala, Pobre Mortal.

O que vale mais a pena? Fazer um financiamento, pegar um empréstimo ou fazer um consórcio, você sabe responder?

Talvez você nunca tenha parado para analisar a diferença entre eles, mas o post de hoje vai ser justamente sobre isso. Eu vou te falar tudo que você precisa saber para decidir qual o melhor tipo para casos de necessidade.

Como funciona o Financiamento?

O sonho de possuir um carro próprio ou a casa própria é comum entre os brasileiros e, sinceramente, sonhos não se discutem. Cada qual tem o seu. 

Então, diante da vontade de realizá-los, é possível dispor das modalidades de crédito. 

O financiamento é concedido pela instituição financeira com uma finalidade específica. Você financia um imóvel ou um veículo, por exemplo. Para que isso aconteça, o banco avalia esse bem e exige que ele seja deixado em garantia durante todo o prazo de pagamento.

Você pode utilizá-lo normalmente, como se já fosse seu mas, na verdade, ele não é. No documento do bem, fica registrada a alienação fiduciária que é uma espécie de vínculo com o banco. Portanto, até quitar todo o saldo devedor, você não pode trocar o objeto do financiamento por outro.

Qual a diferença para o Empréstimo?

A diferença principal do empréstimo é a finalidade, ou seja: não é necessário expor qual a necessidade de compra, enfim: é possível gastar de acordo com suas vontades sem maiores informações. 

Sendo assim, não há obrigatoriedade em garantias. E, portanto, o empréstimo é um tipo de acesso a crédito muito mais caro que o financiamento. 

Digamos que essa é a maneira que o banco possui de arcar com o risco de emprestar o dinheiro sem saber qual a finalidade.

Como Funciona o Consórcio?

Ele representa uma modalidade de compra programada. De forma didática, podemos dizer que se trata de uma modalidade financeira em que um grupo de pessoas (físicas e/ou jurídicas) se unem para formar um fundo no intuito de adquirir bens de mesma natureza.

Este fundo será administrado por uma empresa, a qual se responsabilizará pela gestão dos valores e contemplação da carta de crédito nas assembleias periódicas.

Na prática, para entrar em um consórcio é necessário procurar uma administradora e tornar-se um participante (consorciado), comprando uma cota. A partir de então, o consorciado deve pagar uma mensalidade durante um prazo definido em contrato esse prazo varia conforme o tipo de bem e o seu valor. 

Caso faça sentido para você esse tipo de modalidade, eu só te peço um favor: busque por uma administradora de consórcios que seja autorizada pelo Banco Central. 

Para acessar a carta de crédito, o consorciado conta com os sorteios mensais ou, ainda, pode tentar antecipar a contemplação ofertando um lance vencedor. Esse funcionamento é exclusivo do consórcio, fazendo dele uma modalidade de compra que difere bastante do financiamento e do empréstimo. 

Outra diferença entre consórcio e financiamento é que no financiamento é possível fazer a retirada do bem de imediato, mas no consórcio é preciso aguardar a contemplação da carta de crédito para adquirir o bem. 

Qual a Melhor Opção?

Procure sempre ter muito planejamento financeiro. Assim, você não precisa apelar para opções de crédito caras. Quem busca empréstimo geralmente precisa de dinheiro com urgência, por isso se submete a juros altos.

Se você poupa dinheiro e faz planos para o futuro, é provável que esteja com uma reserva de emergência montada de forma robusta e com investimentos em renda variável para uma carteira de longo prazo efetiva. 

Portanto, sempre calcule antes e veja qual a melhor opção financeira para você naquele momento.

Deixe um comentário