GOVE11: O QUE É? E COMO FUNCIONA?

Fala Pobre Mortal! Já ouviu falar sobre o GOVE11?

Muitos não fazem ideia de como escolher as próprias ações no mercado, ou não querem aprender mesmo, e uma solução para não ter esse trabalho é investir de forma passiva através de ETF’s.

O que é o GOVE11?

GOVE11 é um fundo que segue o Índice de Governança Corporativa Trade (IGCT), que foi fundado em 2011 e é gerido pelo Banco Itaú.

O fundo tem o objetivo de obter uma performance parecida com o índice determinado, assim como todos os outros ETFs.

Como Funciona?

O GOVE11 é obrigado a investir pelo menos 95% do seu patrimônio em ações que compõem o IGCT, os outros 5%  o gestor tem a liberdade de investir em ações ou outros ativos de sua escolha no mercado.

O IGCT reflete o valor dos ativos de todas as empresas com governança corporativa diferenciada. Possuem ações de empresas com os segmentos de listagem de governança corporativa do Novo Mercado, Nível 1 e Nível 2. Para entrar nessa lista é preciso que o ativo siga duas regras:

  • Estar entre os 99% mais negociados nos últimos 12 meses da Bolsa de Valores;
  • Ter sido negociado em no mínimo 95% dos pregões dos últimos 12 meses.

Dessa forma temos que é um Índice que possui regras tanto de governança quanto de liquidez para montar sua carteira, trazendo maior proteção para o cotista.

Vantagens de Investir no GOVE11

  • Diversificação com baixo Custo: Investindo em um ETF você consegue diversificar seus investimentos em vários ativos diferente com um custo muito menor;
  • Ter empresas que possuem requisitos mínimo de governança e liquidez para compor sua carteira;
  • Terceirização dos Investimentos: Você estará investindo de forma passiva e não precisará se preocupar em ficar analisando cada ativo presente no índice.

Desvantagens de investir no GOVE11

  • Taxas;
  • Não há análise Fundamentalista.

Assim como todo fundo, existe uma taxa de administração cobrada, no caso do GOVE11 essa taxa é de 0,50% ao ano. 

Além disso o fundo não faz nenhuma análise fundamentalista sobre as empresas em seu portfólio, ela apenas tem que estar dentro das regras do índice, o que pode ser prejudicial para o investidor.

No entanto, possui também várias vantagens como já foram citadas, vai de você investidor analisar e ver o que faz mais sentido para você, escolher seus próprios ativos ou investir de forma passiva.

Bons Investimentos!

Deixe uma resposta