Investir em BDRs ou diretamente no exterior?

Investir no exterior

Faaala, Pobre Mortal. Qual a melhor forma de investir no exterior.

Este post é para você!

Você que quer começar a investir no exterior, se expor ao dólar e às maiores empresas do mundo, mas ainda não sabe qual é a melhor opção?

São muitos os que falam que é melhor investir através de BDR’s, agora que foram liberadas para todo mundo. Outros discordam, falam que é furada e que tem que abrir uma conta no exterior.

Então neste post eu vou te mostrar com fatos e números, as vantagens e desvantagens de cada um.

O que são as BDRs?

BDR’s são certificados emitidos no Brasil que representam ações americanas, ou seja, um grande banco no exterior compra essa ação lá fora e te dá um recibo de que você possui essa ação.

Existem 2 tipos de BDR’s: As patrocinadas e as não patrocinadas.

As patrocinadas são a minoria, no qual a própria empresa decide emitir o recibo de suas ações no Brasil.

As não patrocinadas são aquelas que a B3, junto com algum banco no exterior, emitem ações de alguma empresa estrangeira na bolsa de valores brasileira.

Então como saber qual eu estou comprando?

Simples…basta olhar os números no final da BDR. Quando terminadas em 32 ou 33, são geralmente BDR’s patrocinadas.

Quando terminadas em 34 ou 35, referem-se a BDR’s não patrocinados, como a AAPL34 e AMZN34.

Por onde investir diretamente no exterior?

Para investir diretamente no exterior, é preciso abrir conta em uma corretora estrangeira e enviar o dinheiro para essa corretora, assim como é feito aqui no Brasil.

Hoje no mercado existem duas principais corretoras para brasileiros, que possuem todo o suporte em português, o que facilita muito os investimentos e abertura da conta. São elas a Avenue e a Passfolio.

Existem também outras corretoras norte-americanas mais tradicionais com taxa zero para investir, como a TDAmeritrade.

Quais os custos para investir no exterior?

Vamos lá. Os principais custos que você terá em cada uma dessas opções são:

BDR’s

No momento de compra de uma BDR, como você hoje consegue comprar com taxa zero de corretagem, você pode ter o custo do spread, que está relacionado com a liquidez desse ativo. 

Atualmente a liquidez ainda é baixa, mas já aumentou muito desde que foi liberada para a negociação do público em geral.

Hoje esse spread gira em torno de 0,1% e antes chegava até mais ou menos 1,5%.

Existe também uma taxação dos dividendos. Sim, você recebe dividendos das BDR’s, mas paga uma taxa sobre eles. 

Essa taxa hoje gira em torno de 3 a 5%, dependendo da Instituição que fez a escrituração desses ativos. 

Diferente das ações (onde há isenção de IR caso você venda até R$20k no mês), nas BDR’s, qualquer venda que você faça, terá que pagar 15% de IR sobre o lucro da operação.

Corretoras americanas

Os custos variam de corretora para corretora, mas vou te dar os exemplos da Avenue e da Passfolio, que hoje são as duas corretoras que oferecem o suporte todo em português.

A Avenue possui o seu Plano Premium e o seu plano Taxa Zero (com até 10 corretagens gratuitas por mês).

No Plano Premium, a taxa de corretagem da funciona da seguinte maneira:

  • Até $100,00 – paga $1,00;
  • Entre $101,00 e $1.000,00 – paga $1,50;
  • Entre $1.000,00 e $2.000,00 – paga $4,30;
  • Acima de  $2.000,00 – paga $8,60.

Além disso, nos dois planos haverá o custo do spread cambial, que varia entre 1,66% e 2,21%, se você optar por ter o dinheiro no mesmo dia na corretora ou no dia seguinte.

Além destes custos, haverá o custo com IOF (Imposto sobre Operações Financeiras), ou seja, mais 0,38%.

Na Passfolio a corretagem é gratuita para ordens acima de $5,00. Para negociações abaixo desse valor, haverá um custo de $0,2 cent por ação negociada.

Há também uma taxa a mais no momento de retirar seu dinheiro da corretora.

A Passfolio conta com um spread cambial de 1,2% + 0,38% do IOF + R$2,00 (padrão).

Investindo através de uma corretora americana, você tem a isenção de IR sobre a venda de até R$35k no mês, acima disso, você pagará 15% de IR sobre o lucro.

Estes são os principais custos que temos escolhendo uma das duas opções.

Qual a forma mais barata de investir no exterior?

Se colocarmos na ponta do lápis, os custos na compra de uma ação lá no exterior são maiores do que comprar BDR’s. 

Porém, a não taxação dos dividendos e a isenção de IR na hora da venda, podem tornar o investimento através de corretoras americanas mais atrativo.

Atualmente temos 671 BDR’s listadas na B3 e mais de 2 mil ativos para você escolher lá fora.

São várias as vantagens em abrir uma conta diretamente no exterior e investir por lá. Mas se você quer manter todos seus investimentos em reais e ter tudo em apenas um lugar, não são essas pequenas diferenças que te farão rico ou pobre.

Para você que quer escolher suas próprias ações americanas e não quer ter o trabalho de ter que abrir outra conta, investir através de BDR’s é sim uma ótima opção.

E aí, em qual você vai investir?

Deixe um comentário