O que é um CDB?

Entenda o que é o CDB, como esse produto financeiro funciona e saiba quais suas vantagens e desvantagens.

“Aah Rufino, o que é um CDB? E o CDI? Eu sempre confundo os dois! É muito arriscado? Rende bem? Qual é o prazo? É seguro? Como eu posso investir?”

Calma pobre mortal, deixa comigo que vou te explicar tudo sobre esse tipo de produto bancário.

Primeiramente, você sabia que o certificado de depósito bancário, nome do qual a sigla CDB deriva, é um investimento tão seguro quanto a poupança?

Sim, pobre mortal, pode acreditar! Mesmo tendo diversas vantagens em relação à poupança, a segurança da aplicação é a mesma.

Mas vamos ao que interessa, o que realmente é o CDB?

O CDB é um produto de renda fixa emitido por instituições bancárias e, nada mais é do que uma das formas que os bancos têm de captar dinheiro para poder emprestar posteriormente aos seus clientes, cobrando um juros mais alto, é claro.

Ao contrário da poupança, que tem algumas restrições para onde o dinheiro captado deve ser destinado, os recursos adquiridos através de um CDB podem ser destinados para diversos fins, o banco pode fazer “o que ele quiser” com o que você investe ali.

Isso se torna uma enorme vantagem para essas instituições, o que possibilita o produto ter rentabilidades maiores do que alguns outros de renda fixa, principalmente a poupança.

Quais são os tipos de CDB’s que encontro por aí e como sou remunerado por cada um deles?

Os CDB’s podem ser divididos de acordo com sua rentabilidade em 3 tipos: Os prefixados; os pós-fixados e os híbridos

1. Prefixados:

A taxa de rentabilidade desse tipo de CDB é uma taxa fixa, acordada na hora da compra do título, como por exemplo 14% ao ano. Ou seja, a taxa permanece a mesma até a data de vencimento acordada, independentemente dos fatores do mercado, da economia, etc.

2. Pós-fixados

Já nessa opção a rentabilidade também acordada na hora da compra do título é atrelada a algum indicador. Aqui você recebe uma porcentagem desse tal indicador, que é usado como benchmark.

Na maioria dos CDB’s o indexador utilizado é o CDI, certificado de deposito interbancário, como por exemplo de rentabilidade 110% do CDI. Tome muito cuidado para não confundir CDB (produto financeiro) com o CDI (taxa que lastreia as operações interbancárias), muitos fazem isso.

O CDI é a taxa que os bancos cobram para emprestar dinheiro para outros bancos. Esses empréstimos de bancos para bancos existem basicamente porque todos eles têm que fechar o dia com o caixa no positivo e, quando não conseguem pegam emprestado com outra instituição. Mas isso é assunto para outro post.

3. Híbridos

Os títulos considerados híbridos são os que misturam as duas modalidades anteriores, são compostos por uma parte pós e uma pré fixado. Um exemplo de rentabilidade híbrida seria 4% + IPCA, ou 3% + 120% do CDI e por aí vai…

Qual prazo devo escolher para meu CDB?

É claro que o prazo que você deve escolher ao adquirir um título desses deve ser de acordo com os seus objetivos ao fazer aquele investimento.

Se você deseja investir para sua aposentadoria, para o futuro dos filhos, um dinheiro que você não pretende precisar nem tão cedo o mais aconselhado é escolher títulos com uma data de vencimento um pouco mais longa, porque isso também te gerará um maior retorno. Lembre que normalmente, quanto maior o tempo de espera, maior o prêmio. Você consegue encontrar no mercado CDB’s com prazo de 10, 20 anos facilmente.

Se você deseja fazer uma viagem internacional com toda a família, juntar para comprar um carro mais pra frente, fazer uma reforma não-urgente em sua casa, ou quaisquer outros objetivos de médio e curto prazo, que possam ser adiados caso ocorra algum imprevisto, você deve optar por prazos menores, que atendam às suas expectativas.

Já se o seu objetivo ao comprar o CDB é montar sua reserva de emergência, o caixa de sua empresa ou sua reserva de oportunidades, escolha opções que te proporcione liquidez diária, ou no máximo D+1. Ou seja, o dinheiro deve cair na sua conta ou no mesmo dia do resgate, ou até um dia depois de solicitado o resgate.

O quão arriscado é investir em um CDB?

Como já dito antes, investir no CDB é tão seguro quanto investir na poupança. Nos dois casos você está emprestando o seu dinheiro para o banco. O risco que você tem ao investir nesse produto bancário é o da instituição emissora do título falir. E isso não é comum de acontecer, muito pelo contrário.

Por conta disso, uma medida para “diminuir” e controlar o risco é avaliar a saúde da instituição para qual você está “emprestando” o seu dinheiro. Procure sempre investir em emissores saudáveis e já consolidados.

Além de toda essa segurança, os investidores do CDB ainda podem contar com a proteção do FGC, Fundo Garantidor de Crédito. (Uma breve explicação do que é o FGC: É uma associação civil sem fins lucrativos que tem como objetivo proteger os depositantes e os investidores das instituições associadas, mas isso também é tema para outro post.)

Então você será ressarcido caso haja uma falência ou recuperação jurídica da instituição na qual você investiu o seu dinheiro em até 250 mil reais por CPF, com limite de até 1 milhão de reais para cada 4 anos consecutivos.

Tem valor mínimo para investir?

Há não muito tempo a maioria dos CDB’s costumavam ter um valor mínimo de investimento por volta de 5 mil reais, mas hoje em dia conseguimos encontrar facilmente cotas no valor de 1 mil reais e até valores bem baixos, como é o caso do CDB de liquidez diária do banco Inter, onde o valor mínimo é de apenas 100 reais.

Quais são os custos embutidos nesse investimento?

Atualmente a maioria das corretoras já têm taxas zeradas para renda fixa, então o único custo que você terá ao investir nos Certificados de Depósitos Bancários serão os 2 impostos que incidem sobre essa aplicação: O Imposto de Renda e o IOF.

O Imposto de Renda incidido sobre essa aplicação segue a tabela de IR regressiva a seguir:

Já o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) só incide sobre os primeiros 30 dias após a aplicação. Ele segue a seguinte tabela, também regressiva:

Como faço para investir nesse produto?

Investir em um CDB é extremamente fácil e simples, assim como em qualquer outro produto de renda fixa.

1- Se você ainda não tem conta em nenhuma corretora, primeiramente você deve abrir sua conta. A maior parte das corretoras não cobra nada por isso. É muito simples, conseguimos fazer tudo pelo celular ou pelo computador.

2- O segundo passo é transferir o dinheiro que você deseja investir para a conta da sua corretora.

3- O terceiro passo é escolher em qual produto investir, de que tipo, qual prazo e de qual instituição emissora (sempre avaliando a saúde da instituição para valores acima de 250 mil reais).

4- Após ter feito sua escolha é só aplicar e deixar que o poder dos juros compostos trabalhe para você

Em resumo, quais as vantagens e desvantagens do CDB?

Vantagens:

1- Acessibilidade, uma vez que existem CDB’s com investimento mínimo de 100 reais.

2- Facilidade, já que podemos investir de onde quisermos, basta acesso à internet e a conta de nossa corretora.

3- Segurança, por ser uma das aplicações financeiras mais seguras do mercado e por ter a proteção do FGC.

4- Rentabilidade. O CDB é um investimento de renda fixa onde podemos encontrar diversos tipos de rentabilidades, para cada tipo de objetivos e prazos.

5- Flexibilidade. Os prazos dos CDB’s estão ficando cada vez mais flexíveis e diversificados, hoje encontramos CDB’s de liquidez diária até CDB’s com prazo para resgate daqui a 20 anos.

Desvantagens:

1- Incidência do Imposto de Renda

2- Incidência do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF).

3- Risco de falência da instituição emissora (apesar de ser extremamente difícil).

Essas são as principais vantagens e desvantagens desse tipo de produto financeiro, queridinho pelos amantes de renda fixa. As suas vantagens o tornam uma excelente opção para reservas de emergência, oportunidade e de giro de caixa para empresas. Além de ser uma excelente porta de entrada para o investidor iniciante entrar de cabeça no mundo do mercado financeiro.

E ai, pobre mortal! Agora que você já sabe de tudo sobre CDB’s não têm mais desculpas, né? Bora começar a investir!

O que achou desse post? comenta ai embaixo!

Deixe uma resposta