Selic: O que é? Quanto rende? Tudo o que você precisa saber sobre!

Faala Pobre Mortal, tudo tranquilo por ai? Você costuma ouvir a todo momento em assuntos do mercado financeiro ou até mesmo em notícias do dia a dia sobre a taxa Selic e ainda não sabe muito bem o que é? Pode ficar tranquilo que nesse post eu vou te explicar tudo o que você precisa saber sobre esse assunto.

O que é a taxa Selic?

Na verdade, existem dois tipos de Selic, a Selic Over e a Selic Meta. Explicarei sobre cada uma abaixo:

Selic Meta

A Selic Meta é a taxa de juros básica de nossa economia, determinada de 45 em 45 dias pelo COPOM (Comitê de Política Monetária). Essa é a taxa que sempre vemos saindo nas notícias.

Na verdade, o COPOM determina a meta da Selic, e o Bacen (Banco Central) tentará mantê-la em linha.

Essa taxa norteia todas as outras, é uma taxa de referência e, mais do que isso, é utilizada como instrumento de política monetária, para tentar controlar inflação, nível de investimento do país, etc. Ou seja, essa meta proposta pelo COPOM é que vai balizar e controlar a expectativa da economia brasileira por geral.

Selic Over

A Selic Over é a média ponderada de todas as operações feitas no sistema, também chamado de SELIC, (Sistema Especial de Liquidação e Custódia) lastreadas em títulos públicos federais.

Esse sistema registra todas as operações relacionadas aos títulos públicos do Tesouro Nacional e, como você deve imaginar, são feitas inúmeras operações POR DIA.

Por lei, os bancos são obrigados a sempre fecharem o dia com suas contas no positivo. Eles recebem e entregam muita grana todos os dias e, ao final do dia, esse saldo tem que estar positivo ou, no mínimo, balanceado. Essa lei é imposta para que haja um controle do dinheiro em circulação. Imagina se os bancos pudessem se endividar ilimitadamente?!

Por isso, uma boa quantidade desses títulos são comprados por bancos, para que, por meio de títulos públicos de curtíssimo prazo, possam fazer empréstimos para outras instituições financeiras e todos fecharem “no azul”.

Dessas operações de curtíssimo prazo é feita uma média ponderada que é divulgada DIARIAMENTE, essa é a taxa Selic Over.

Selic nos investimentos

No mundo dos investimentos, é bastante utilizada como benchmark (referência) e como base de pagamentos de rendimentos, como por exemplo Selic + 1,5% a.a.

Mas muito cuidado, Pobre Mortal, não confunda a Selic com o Tesouro Selic.

Muitos associam esses dois à mesma coisa, mas, na verdade, o Tesouro Selic é um produto, um título do programa do Tesouro Nacional, que rende exatamente a taxa Selic.

Além desse título, que hoje em dia é o investimento de maior segurança em nosso país (sim, mais do que a poupança), vemos a taxa Selic sendo utilizada como benchmark em diversos outros produtos de renda fixa, como CDB’s, LCI’s, LCA’s, Debêntures e até mesmo como referência de rentabilidade em alguns planos de previdência privada.

Mas como a Selic pode controlar a inflação?

Como já foi dito, ela é a taxa básica de juros de nossa economia. Sendo assim, todos empréstimos e produtos financeiros tenderão a acompanhar a sua tendência.

Se a Selic cai, fica mais barato para os pobres mortais pegarem dinheiro emprestado pra fazerem os financiamentos e parcelamentos que tanto gostam. Por outro lado, se ela sobe, além de ficar mais caro para tomar dinheiro emprestado, as instituições financeiras também irão pagar mais para deixarmos nosso dinheiro paradinho lá.

Resumindo:

Selic baixa → fomenta a economia → aumenta a inflação

Selic alta → desacelera a economia → reduz a inflação

É claro que a inflação depende de diversos outros fatores, mas essa é a ideia básica por traz do controle da Selic pelo COPOM.

Quanto está rendendo a Selic hoje?

Aqui está o valor histórico da taxa Selic, mês a mês, de 2011 a agosto de 2019:

Deixe uma resposta