3 Erros ao Investir no Tesouro Direto

Tesouro Direto

Faala, Pobre Mortal. Você já investe ou já investiu no Tesouro Direto?

Neste post eu vou falar sobre 3 erros muito comuns, no momento de investir em algum título do governo, para quem está começando agora nesse mundo dos investimentos.

Então leia até o final, que isso vai te ajudar a não perder dinheiro nos seus investimentos.

Erros do investidor iniciante

1.Focar na rentabilidade.

É claro que a rentabilidade é importante para gente, mas ao investir através do tesouro direto o foco não deve ser ganhar dinheiro. 

Eu sempre falo com meus alunos que ter clareza sobre nossos objetivos e clareza sobre a finalidade de cada ativo na nossa carteira é premissa para se tornar investidor de sucesso. 

A importância de se ter claro o objetivo a ser alcançado é simplesmente pelo fato de que os títulos públicos têm prazo de vencimento, então se você fizer a compra de um tesouro pré-fixado e não permanecer com o título até o vencimento, você pode até perder dinheiro. 

Por isso, caso você tenha interesse em usar o dinheiro de forma precoce na data acordada, evite colocar no tesouro prefixado e no tesouro IPCA+, pois os 2 sofrem da marcação a mercado. 

Caso você não tenha entendido essa nomenclatura, claro que não precisa se preocupar. No decorrer do vídeo eu vou explicar melhor. 

Enfim, principalmente com a taxa Selic baixa, o foco no investimento através do tesouro direto deve ser segurança basicamente. 

2.Desconhecer a marcação a mercado

Como eu disse, é possível sim, perder dinheiro ao investir no tesouro prefixado e no tesouro IPCA+. 

Eu vou explicar a partir do tesouro prefixado, mas saiba que a ideia também se aplica ao IPCA+, beleza? 

Caso você invista hoje, por exemplo, 500 reais a uma taxa de juros X, suponha que no vencimento você receberá 1000 reais. 

Acontece que o valor da taxa de juros oscila. Pode oscilar para mais ou para menos. 

Em um cenário que a taxa de juros oscile para cima, tenha em mente que o valor investido se manterá constante e o valor a ser resgatado também. 

Então acontece que a cotação do título precisa diminuir para que a conta feche. E o mesmo acontece em um cenário de redução da taxa de juros. 

Então, se a taxa de juros estiver decrescendo, o valor do título precisa aumentar para que multiplicado pela nova taxa atinja o valor acordado previamente. 

Essa é a famosa marcação a mercado. 

Tem gente que se utiliza dessa estratégia para ganhar dinheiro a partir dos títulos públicos. E caso você já seja mais experiente no mercado financeiro não há problema. 

No entanto, caso você seja um iniciante, eu não te aconselho a fazer a retirada do valor investido antes do prazo acordado, afinal é possível retirar com prejuízo. 

Diante disso, minha sugestão é que, se você acreditar que não consegue manter o investimento até o vencimento, invista no tesouro Selic que é um título pós fixado e com liquidez diária. 

3. Não saber sobre o imposto de renda cobrado

Existe um imposto conhecido como “IOF” que incide a partir dos investimentos em renda fixa, como o tesouro Selic, tesouro pré-fixado e tesouro IPCA+. 

Você só realiza o pagamento desse IOF caso você retire seu investimento antes do prazo de 30 dias.

Além do IOF é cobrado um imposto de renda regressivo sobre o lucro do seu investimento.

  • Até 6 meses: 22,5%
  • De 6 a 1 ano: 20%
  • De 1 ano a 2 anos: 17,5%
  • Mais de 2 anos: 15%

É válido lembrar que esse imposto é cobrado apenas sobre o lucro do investimento e não sobre o valor total investido.

Portanto, caso você pretenda retirar seu investimento no curto prazo, tem outras opções de renda fixa que podem ser mais vantajosas.

Investir no Tesouro Direto é um dos investimentos mais seguros do Brasil, mesmo assim tem as suas peculiaridades e é preciso que você conheça para que faça boas escolhas.

Bons investimentos!

Deixe uma resposta